Democracy and the Portuguese Polytechnic Education. The Case of the Polytechnic Institute of Portalegre (80s of the XX century)

Helder Henriques, Amélia Marchão, Joaquim Mourato

Abstract


In this paper we intend to demonstrate how important was the creation of the Polytechnic Higher Education Institutions as a way to the democratization, access and success in the system of Portuguese higher education in the 70s and 80s of the XX century. Taking the example of the Polytechnic Institute of Portalegre, in particular its School of Education, and using the method of document analysis articulated by content analysis of the interviews with students of the 80s of the XX century, we aimed to highlight the importance of this Higher Education Institution in the democratization on the access and success for a large number of students attending this institution in such a decade. We conclude emphasizing the importance of regional decentralization of higher education institutions across the country and of democratic opportunity in order to allow more citizens to access and complet a degree, regardless of their social, economic and cultural roots.

How to reference this article

Henriques, H., Marchão, A., & Mourato, J. (2015). A Democracia e o Ensino Superior Politécnico Português. O caso do Instituto Politécnico de Portalegre (década de 80 do séc. XX). Espacio, Tiempo y Educación, 2(2), 173-196. doi: http://dx.doi.org/10.14516/ete.2015.002.002.009


Keywords


educational history; educational policy; democratization of education; right to education; university; transition

References


Alves Martins, C. A. (1968). Alguns aspectos do ensino em Portugal. Análise Social, VI (20-21), pp. 57-80.

Carvalho, R. (2008). História do ensino em Portugal – desde a fundação da nacionalidade até ao fim do regime de Salazar-Caetano. 8.ª ed. Lisboa: F.C.G.

Cruz, M. B. & Cruzeiro. M. (Coords.). (1995). O Desenvolvimento do Ensino Superior em Portugal. Situação e Problemas de Acesso. Lisboa: Ministério da Educação, Departamento de Programação e Gestão Financeira.

Decreto do Governo n.º 46/85 de 22 de novembro de 1985.

Decreto-Lei n.º 402/73 de 11 de agosto de 1973.

Decreto-Lei n.º 513-T de 26 de dezembro de 1979.

Decreto-Lei nº. 427-B de outubro de 1977.

Escola Superior de Educação de Portalegre. (Ed.). (1996). Escola Superior de Educação de Portalegre – Uma década de afirmação. Portalegre: ESEP.

Escola Superior de Educação de Portalegre. (Ed.). (2010). Honrar o passado, consolidar o presente, conquistar o futuro. Portalegre: ESEP.

Escola Superior de Educação de Portalegre. (Ed.). Escola Superior de Educação de Portalegre – Balanço de Cinco anos de actividade 1985-1990. Portalegre: ESEP.

Fontanella, B. J. B., Ricas, J., Turato, E. R. (2008). Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 24(1), pp. 17-27. Recuperado em 20 de Agosto de 2014, de http://www.scielo.br/pdf/csp/v24n1/02.pdf

Fonseca, M. J. (2001). O Ensino Politécnico em Portugal. A história recente. Politécnica, Boletim Informativo do Instituto Superior Politécnico de Viseu – ISPV, 2, pp. 7-9.

Garrido, A. (2008). A universidade e o Estado Novo: de «corporação orgânica» do regime a território de dissidência social. Revista crística de Ciências sociais, 81 (junho), pp. 133-153.

Grácio, R. (1971). Democratização do ensino. Seara Nova, n.º 1512, Outubro.

Henriques, H. (2012). Formação, Sociedade e Identidade Profissional dos Enfermeiros: A Escola de Enfermagem de Castelo Branco/Dr. Lopes Dias (1948-1988). (Tese de Doutoramento). Universidade de Coimbra, Coimbra.

Lei n.º 46/86 de outubro de 1986.

Lei n.º 5/73 de 25 de julho de 1973.

Marchão, A. (2012). No jardim de infância e na escola do 1.º ciclo do Ensino Básico. Gerir o Currículo e criar oportunidades para construir o pensamento crítico. Lisboa: Edições Colibri.

Miller Guerra. J., Sedas Nunes, A. (1969). A crise da Universidade em Portugal: reflexões e sugestões. Análise Social, 7(25-26), pp. 5-49.

Mogarro, M. J. (2001). A formação de professores no Portugal Contemporâneo. A Escola do Magistério Primário de Portalegre (2 Vols.). (Tese de Doutoramento). Universidad de Extremadura, Cáceres.

Mourato, J. (2014). O ensino superior politécnico em Portugal – presente e Futuro. Revista FORGES (Fórum da Gestão do Ensino Superior nos Países de Língua Portuguesa), 1, pp. 109-143.

Nóvoa, A. (1992). A Educação Nacional. In Serrão, J. & Oliveira Marques, A. H., Nova História de Portugal – Portugal e o Estado Novo, 1930 – 1960 (pp. 455-519). Lisboa: Presença.

Pascueiro, L. (2009). Breve contextualização ao tema da democratização do acesso ao ensino superior. A presença de novos públicos em contexto universitário. Educação, Sociedade & Culturas, 28, pp. 31-52.

Pintassilgo, J., Mogarro, M. J. (2003). A ideia de Escola para todos no pensamento pedagógico português. In Pintassilgo, J., A ideia de Escola para todos no pensamento pedagógico português (pp. 51-71). Lisboa: SPICAE.

Pintassilgo, J. (2003). Construção histórica da noção de democratização do ensino. O contributo do pensamento pedagógico português. In Pintassilgo, J., Construção histórica da noção de democratização do ensino. O contributo do pensamento pedagógico português (pp. 119-141). Lisboa: Centro de Investigação em Educação.

Pintassilgo, J. (2014). A Educação em tempos de Revolução (nos 40 anos da Revolução do 25 de Abril de 1974 em Portugal). Espacio, Tiempo y Educación, 1(2), pp. 13-19.

Portaria n.º 549 de julho de 1987.

Sebastião, J., Correia, S. (2009). The democratisation of school education in Portugal. In Viegas, J. M. L., Carreiras, H., Malamud, A. (Orgs.), Institutions and Politics, (Portugal in the European Context, vol. I) (pp. 101-126). CIES, ISCTE-IUL, Lisbon: Celta Editora.

Sedas Nunes, A. (1968). A população universitária portuguesa: uma análise preliminar. Análise Social, 6(22-23-24), pp. 295-385.

Sedas Nunes, A. (1968). O Sistema Universitário em Portugal: alguns mecanismos, efeitos e perspectivas do seu funcionamento. Análise Social, 6(22-23-24), pp. 386-474.

Serviços Académicos da Escola Superior de Educação de Portalegre. Relação de Antigos Alunos da Escola Superior de Educação de Portalegre (1989-2008).

Sousa, A. (1968). Algumas reflexões sobre a democratização do Ensino Superior. Análise Social, 6(20-21), pp. 248-253.

Sousa, A. (1999). Sobre a Génese do ensino superior politécnico. Millennium, 13 [sem indicação de páginas].

Stoer, S. R. (1986). Educação e mudança social em Portugal, 1970-80: Uma década de transição. Porto: Edições Afrontamento.

Stoer, S. R. (2008). A reforma de Veiga Simão no ensino: Projecto de desenvolvimento social ou «disfarce humanista»?. Educação, Sociedade & Culturas, 26, pp.17-48.

Urbano, C. (2011). O ensino politécnico em Portugal: a construção de uma identidade perante os desafios de mudança (entre o final do século XX e o início do século XXI). (Tese de doutoramento). Lisboa: Universidade Nova de Lisboa.

Valentim, J. P. (1997). Escola, Igualdade e Diferença. Porto: Campo das Letras.




DOI: http://dx.doi.org/10.14516/ete.2015.002.002.009

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Copyright (c)

ISSN: 2340-7263

DOI prefix: 10.14516/ete

URL: www.espaciotiempoyeducacion.com

FahrenHouse: Salamanca, Spain

Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International (CC BY-NC-ND 4.0)