Building a democratic education. The Teacher Training College Model in times of revolutionary crisis (1974-1976)

Luís Mota, António Gomes Ferreira

Abstract


The present paper attempts to analyze the model and meaning of the reform of ordinary primary education, its ends and goals, and to address the ideological debate and clashes present in Teacher Training Colleges during the Ongoing Revolutionary Process (PREC). Experimental times of «pedagogical experiences», of the democratic construction of education, supported by a logic of equal opportunities and openness and intervention in the community, at a time when the educational system received the mandate to democratize success and combat social inequalities (Stoer, Stoleroff, Correia, 1990). Based on the triangulation of information (Denzin and Lincoln, 2000), our analysis focuses on the stakeholders’ discourses published by media specialized in education and teaching, or other, using anamnesis, oral accounts collected through interviews, and the few (still) existing information sources. During the ideological debate and clash, two trends of the revolutionary process competed, that of the basic dynamics and of instrumentalisation. In the context of Teacher Training Colleges, the latter prevailed. It formed a centralised vision of the revolutionary process by fostering a mobilising dynamics, from the centre to the periphery, using the dimensions of academic knowledge, ideological principles and techniques for organising society following the ideological model established. It captured the strength and energy of the basic dynamics, either by outlining first the sense of mobilisation or assessing the propriety of the proposals arising from the mobilisation and adjusting them to its purposes.

How to reference this article

Mota, L., & Ferreira, A. G. (2015). La construcción de una educación democrática. Las escuelas de magisterio primario en tiempos de crisis revolucionaria (1974-1976). Espacio, Tiempo y Educación, 2(2), 265-288. doi: http://dx.doi.org/10.14516/ete.2015.002.002.013


Keywords


teacher training colleges; teacher training; regular education; Ongoing Revolutionary Process (PREC); pedagogical experiences

References


(1979). Educar em Portugal. Mesa Redonda. Raiz & Utopia. Críticas e alternativas para uma civilização diferente, 9/10, pp. 55-133.

Ambrósio, T. (1996). O sistema educativo: ruptura, desestabilização e desafios europeus. En Reis, A. (Ed.), Portugal Contemporâneo. Volume III (pp. 665-674). Lisboa: Alfa/Selecções Reader’s Digest.

Correia, J. A. (2000). As ideologias educativas em Portugal nos últimos 25 anos. Oporto: Edições ASA.

EMPA. (1975). Educação, Função e Factor de Socialização – Testemunho enviado pela Escola do Magistério Primário de Aveiro. Escola Democrática, 1, pp. 5-7.

EMPA. (1976). Testemunho da Escola do Magistério Primário de Aveiro, Semanas de Campo – II – A continuação de uma experiência. Escola Democrática, 15, pp. 8-11.

EMPP. (1976). 1975-1976 – Um ano de experiência pedagógica na Escola do Magistério Primário do Porto. Escola Democrática, 14, pp. 16-21.

EMPP. (1976). A Escola do Magistério do Porto à procura da vida – Testemunho enviado pela Escola do Magistério do Porto. Escola Democrática, 8, pp. 4-6.

ESE, IPC. (1974a). Biblioteca da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra. Coimbra (Portugal). «Roteiro da Experiência Pedagógica ‘A Escola à Descoberta da Criança’», Escola do Magistério Primário de Coimbra.

ESE, IPC. (1974b). Biblioteca da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra. Coimbra (Portugal). «Guião de Observação – atividades de contacto, Escola do Magistério Primário de Coimbra».

ESE, IPC. (1974-1976). Depósito da Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico de Coimbra. Coimbra (Portugal). «Recibos, Outras despesas Correntes – Experiências Pedagógicas no âmbito do Cap.º 13, Art.º 1331, N.º 1».

Fernandes, R. (1977). Educação, uma frente de luta. Lisboa: Livros Horizonte.

Ferreira, A. G., Mota, L. (2011). Memória(s) 30 anos depois. (Entre)vistas a pretexto da formação de professores no PREC. Estudos do Século XX, 11, pp. 71-85.

Ferreira, A. G., Mota, L. (2013). A formação de professores do ensino primário durante a crise revolucionária (1974-1976). En Henriques, H. (Ed.), Educação e formação de professores: história(s) e memória(s) (pp. 79-83). Portalegre: Instituto Politécnico/Escola Superior de Educação.

Gomes, R. (1977). A Educação Democrática em Perigo, o bloqueio do MEIC. Oporto: Limiar.

Grácio, R. (1981). Perspetivas futuras. En Silva, M.; Tamen, M. I. (Eds.), Sistema de ensino em Portugal. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Grácio, R. (1996). Problemas e perspetivas do ensino em Portugal. En Grácio, R. (Ed.), Obra completa. Volume III. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Matos, M. (1978a). Escolas do Magistério Primário. Uma experiência apunhalada (I). O professor, 5, pp. 39-44.

Matos, M. (1978b). Escolas do Magistério Primário. Uma experiência apunhalada (II). O professor, 6, pp. 37-42.

Melo, A. (1979). 9 meses na DGEP. Uma educação feita por todos. Raiz e Utopia, 9-10, pp. 278-279.

Mota, L. (2006a). A Escola do Magistério Primário de Coimbra (1942-1989). Entre Ideologia, Memória e História. Anexo I – Entrevistas. Tomo I. (Tese inédita de doctorado). Faculdade de Letras da Universidade, Coimbra.

Mota, L. (2006b). A Escola do Magistério Primário de Coimbra (1942-1989). Entre Ideologia, Memória e História. Anexo I – Entrevistas. Tomo II. (Tese inédita de doctorado). Faculdade de Letras da Universidade, Coimbra.

Mota, L., Ferreira, A. G. (2012). Instituições de Ensino Normal Primário Público em Coimbra (1901-1989). En Pintassilgo, J. (Ed.), Escolas de Formação de Professores em Portugal (pp. 149-204). Lisboa: Edições Colibri.

Petrella, R. (1990). Portugal – os próximos 20 anos. Reflexões sobre o futuro de Portugal (e da Europa). Volume VII. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Pinto, A. C. (2001). Enfrentando o legado autoritário na transição para a democracia. En Brito, J. B. (Ed.), Revolução e Democracia – 2. O País em Revolução (pp. 359-384). Lisboa: Círculo de Leitores.

Pinto, F. C. (1976). A formação dos professores nas Escolas do Magistério. O Professor, 11-12, pp. 14-15.

Pinto, F. C. (1977). Escolas do Magistério, reforma e contra-reforma. Lisboa: Cadernos «O Professor».

Portugal (10 de marzo de 1967). Decreto-lei n.º 47 587. Diário do Governo. I Série. N.º 59.

Portugal (12 de septiembre de 1975). Despacho n.º 348. Diário da República. II Série. N.º 211.

Portugal. (13 de octubre de 1976). Decreto-lei n.º 725/76. Diário da República. I Série. N.º 240.

Portugal. (22 de agosto de 1977). Despacho n.º 115/77. Diário da República. II Série. N.º 204.

Portugal. (31 de julio de 1975). Planos de estudos das escolas do magistério; magistério primário e magistério infantil. Despacho do Ministro da Educação e Cultura.

Portugal. (31 de octubre de 1974). Despacho conjunto, dos Secretários de Estado da Orientação Pedagógica e da Administração Escolar. N.º 64/74.

Santos, B. S. (1998). O Estado e a Sociedade em Portugal (1974-1988). Oporto: Edições Afrontamento.

Stoer, S. R. (1986). Educação e mudança social em Portugal, 1970-1980, uma década de transição. Oporto: Edições Afrontamento.

Stoer, S. R. (1994). O Estado e as Políticas Educativas: uma proposta de mandato renovado para a Escola Democrática. Revista Crítica de Ciências Sociais, 41, pp. 3-33.

Stoer, S. R., Stoleroff, A. D., Correia, J. A. (1990). O Novo Vocacionalismo na Política Educativa em Portugal e a Reconstrução da Lógica da Acumulação. Revista Crítica de Ciências Sociais, 29, pp. 11-53.

Stoer, S., Barbieri, H. (Orgs.). (1999). Diálogos sobre o vivido. Formação de professores e o 1º Ciclo do Ensino Básico. Deveríamos ou não ter saudades das Escolas do Magistério Primário? Educação, Sociedade & Culturas. Revista da Associação de Sociologia e Antropologia da Educação, 11, pp. 165-204.

Teodoro, A. (2001). A construção das políticas educativas. Estado, educação e mudança social no Portugal contemporâneo. Oporto: Edições Afrontamento.

Teodoro, A. (Ed.). (2002) As políticas de educação em discurso direto (1955-1995). Lisboa: Instituto de Inovação Educacional/Ministério da Educação.




DOI: http://dx.doi.org/10.14516/ete.2015.002.002.013

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Copyright (c)

ISSN: 2340-7263

DOI prefix: 10.14516/ete

URL: www.espaciotiempoyeducacion.com

FahrenHouse: Salamanca, Spain

Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International (CC BY-NC-ND 4.0)